Tivemos a grande felicidade de reunir no dia 28 de novembro um grupo de pessoas convidadas para pensarmos juntos no futuro do Movimento de Vida Independente. Nosso Presidente, José Carlos, abriu a reunião falando sobre o CVI-Rio e a sua contribuição para os últimos 30 anos.

Logo depois, falou sobre a nova era tecnológica, as mudanças nas relações pessoais, do novo desafio de enfrentar o mundo globalizado e digital, e colocou a seguinte pergunta para todos: quem seremos nós nos próximos 30 anos? O que as pessoas com deficiência esperam do CVI-Rio? O que fazer para atrair as novas gerações?

Nosso papel naquele dia memorável foi ouvir, ouvir e ouvir. Foi isso o que fizemos e olha o resultado!

  • Abrir espaço no site do CVI-Rio para denúncias feitas pelas pessoas com deficiência e que 50% das multas seja enviada para os órgãos Públicos e 50% para a instituição ou pessoa que denunciou.
  • Treinamento para profissionais de atendimento de todos os segmentos, desde motoboys até condutores de carros de shoppings. Educação da população.
  • Abrir espaços digitais (um dos meios pode ser o site do CVI-Rio) para atrair mais jovens para a área da deficiência. Saber as demandas atuais das pessoas.
  • Criar eventos para discutir sobre acessibilidade trabalhando na área da cultura.
  • O CVI-Rio se conectar aos grupos já existentes, como o Grupo de Mães.
  • Criar uma plataforma do Curso Compreendendo a Lesão Medular para viabilizar online (EAD).
  • Ter iniciativas para que a deficiência seja tema acadêmico obrigatório em todas as áreas: nutrição, engenharia, design, comunicação e outros.
  • Projeto de sensibilização focado em EMPATIA.
  • CVI-Rio ser o porta-voz para falar em diversos ambientes públicos sobre acessibilidade.
  • Ir para a rua e criar sentimento de pertencimento.
  • Criar grupos nas redes sociais que mobilizem os Órgãos Públicos fazendo pressão pela web.
  • Criar atrativos para jovens se aproximarem do CVI-Rio, por exemplo, com Hackathons (desafios para resolução).

Agora, é colocar a mão na massa e fazer dos próximos 30 anos mais histórias!

 

 




Deixar uma Resposta